Notícias

Fundada a ASCOOB CENTRAL: Primeira Cooperativa Central da Agricultura Familiar no Nordeste

Fundada a ASCOOB CENTRAL: Primeira Cooperativa Central da Agricultura Familiar no Nordeste

15 de Abril de 2008 - 08:00:00h

A Cooperativa de Crédito de Agricultura Familiar e Economia Solidária da Bahia - ASCOOB CENTRAL, foi autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil no último dia 25 de Janeiro e sua Assembléia de constiruição foi realizada no dia 12 de Abril. A ASCOOB CENTRAL funcioná em Feira de Santana (BA) e é considerada, ainda, a primeira do Nordeste direcionada à agricultura familiar e à economia solidária. A Central será formada, inicialmente, por quatro cooperativas: Itapicuru, Serrinha, Credimonte e Araci. Juntas, elas têm cerca de 15 mil sócios em 45 municípios baianos, totalizando depósitos da ordem de R$ 17 milhões e patrimônios de referência de R$ 3,6 milhões. O foco na agricultura familiar, o desenvolvimento de um sistema de gestão financeira próprio, a possibilidade de ofertar apoio especializado às filiadas, a ampliação da rede de parcerias, além da formação de capital social, foram algumas das motivações para a criação da ASCOOB CENTRAL. As atribuições Centrais de crédito são organizações de segundo grau com o papel de coordenar sistemas de cooperativas de crédito. “A criação de centrais pode representar um importante impulso ao fortalecimento institucional desses sistemas de cooperativas de crédito por meio da redução de custos operacionais, de uma maior eficiência organizacional e melhor acesso a convênios para prestação de serviços e intermediação financeira, aumentando a segurança do sistema”, afirmou Vital Filho, da gerência de Negócios e Comércio da Secretaria de Desenvolvimento Territorial do Ministério do Desenvolvimento Agrário (SDT/MDA). Segundo ele, o resultado desse conjunto de fatores é a melhoria nas condições de sustentabilidade do sistema de crédito da agricultura familiar e da economia solidária. “No despacho do Banco Central, ficou clara a importância da rede de apoio na viabilização desse projeto. Entre as entidades parceiras, o documento destaca o Ministério do Desenvolvimento Agrário, a Associação Nacional do Cooperativismo de Crédito e Economia Solidária (Ancosol) e a União Nacional das Cooperativas da Economia Familiar e Solidária (Unicafes) ”, finalizou.